Cuiabá - MT, 16/09/2021 às 14:25 hs

Atualidade

A minha jabuticabeira

Ela está comigo há 3 anos.

Chegou pequenina, franzina.

Eu, sempre fui louca por jabuticabas, desde sempre é a minha fruta preferida.

Quando me mudei para uma casa térrea e que teria um espaço, uma das 1as coisas que eu fiz foi querer tê-la.

Ela veio tímida, reticente. Eu, meio preguiçosa. Ela passou quase 2 anos quietinha, dando uma florzinha ou outra - de vez em quando.

Até que no ano passado, todo em casa, pela pandemia, eu resolvi conversar com ela.

Converso, lavo os cocôs dos infames passarinhos de suas folhas, deixo a mangueira de água esquecida, nela e a sinto toda feliz.

E ela me respondeu. Engrossou os troncos. Começou a encaroçar desde o pézinho, dá flores em todo o distanciamento dos galhos e na semana passada começou a ficar pretinha de frutinhas.

A minha felicidade é imensa. Toda hora vou olhá-la, pego uma frutinha, dou um sorrisinho e falo mentalmente pra ela: você tá linda!

É incrível como toda a vida da gente é assim. Só prospera o que a gente cuida. Só dá flores se a gente conversa, se a gente dá atenção.

E os frutos só vêm se realmente têm amor.

A minha jabuticabeira é o meu espelho.

Cuido, espero, e agradeço. Insisto. Até certo ponto. Mas, se percebo que não sou bem vinda, ou que o meu carinho e consideração foram em vão, eu me recolho, e hoje em dia, agradeço da mesma forma.

Penso que se chama maturidade. O coração fica sofrido, mas tranquilo.

Vivo a vida em relacionamentos que dão flores e frutos, e se não for assim, pra mim, nãos serve, e está tudo bem, também. São escolhas.

Amém!

 

Fonte: Anamaria Bianchini

Gostou? então compartilha ai!